tiago, seu idiota
outubro 20, 2005
Eu sou um idiota. Entre todas as qualidades apaixonantes que definem esse meu traço tão adorárel está minha capacidade de perder o login e senha do movable type e aparentemente destruir o banco de dados do sistema tentando recuperar a cagada. Sim, eu editei esse html na munheca.

Resultado? De volta ao bom (?) e velho blogger.

Não tentem me ajudar não. Mudança é sempre uma coisa positiva. Eu aceitei o meu fracasso e acho que vou me divertir muito mais no blogger. Esse troço da muita aporrinhação.

FUI!

CLICA AQUI, PEREGRINO!


Eu sou o Zé Pilintra
outubro 07, 2005

Morar perto de um centro espírita é só diversão. Nos dias de culto, além de ouvir um batuque melhor que qualquer Timbalada você ainda pode se deliciar com a multidão de pessoas que infestam a rua, fazendo uma fila enquanto esperam para o atendimento e gerando um mercado informal que movimenta milhões de reais em coca-colas e mineirinhos vendidos diretamente de um isopor geladinho. É o equivalente de uma feira livre, mas com uma trilha sonora melhor. Ah, sim: A fila que eles fazem desafia todas as leis da convivência social, e ao invés de disputar a calçada de um metro com os transeuntes, toma rumos revolucionários e se posiciona no meio da rua. Literalmente. Os motoristas sempre diminuem e esperam os fiéis sairem da frente lentamente, com olhares de ódio sublimado atirando raiozinhos que nem em quadrinhos antigos. Ninguém tem a coragem necessária para atropelar um deles. Afinal, eles estão na frente de um centro espírita.

O centro espírita fica ao lado do necrotério de um hospital. O que deve ser um inferno pra eles. O cara morre, está lá curtindo o geladinho da sua gaveta mortuária, aquele barato maneiro do formol, quando começa a ouvir aquele batuque vindo da casa ao lado. Porra? Até aqui? Bater com sua vassoura ectoplásmica contra a parede não parece resolver o problema. Dona Josefa, morta há dois dias, se levanta com aquela camisola de bolinha e bate na gaveta do defundo revoltado - Meu filho, não adianta. Essa gente não se emenda. Ficam aí bebendo, dançando e usando tóxico. Um horror, o mundo está perdido, ai meu Deus e a caristia? - Resignado, o falecido se dá por vencido e tenta se juntar a festa. É discriminado porque está vestindo uma camisola de hospital e não sabe dançar. E os desgraçados nem provaram os risoles que ele levou.

Mas a diversão não se resume aos dias de culto. Ontem mesmo, saindo de casa para mais um dia de trabalho, avistei de longe uma senhora de uns 50 anos ajoelhada na frente do degra na entrada do lugar. Como eu já disse, a calçada tem um metro e eu não tinha outra escolha senão passar a poucos centímetros da beata. Foi impossível não perceber o que ela estava fazendo: Indo para frente e para trás, batendo com as palmas da mão no degrau e gritando "EU SOU O ZÉ PILINTRA! EU SOU O ZÉ PILINTRA! EU SOU O ZÉ PILINTRA!".

Engraçado, eu achava que ele era mais alto.

12:20 PM | Comentários (2)

Mais diversão no seu dia a dia
outubro 06, 2005

TT propõe um novo jogo para vocês. Andando pelas ruas de qualquer cidade grande, começe a contar de um a dez. Cada vez que você travar contato visual com alguma peça publicitária de qualquer tipo, volte pro um. Quem chegar no dez primeiro ganha.

11:59 AM | Comentários (1)

TT no festival do Rio - parte 5
outubro 05, 2005

O ânimo e a energia vital vão diminuindo, minadas pela má alimentação, fadiga e uma semana de provas. Apesar disso, a saideira:

Café Lumiere
Belo filme, feito de pedacinhos singelos da vida de seus personagens com uma delicadeza impressionante. Mas esse eu já esperava que fosse bom e não fiquei supreso.

Crime Delicado
Beto Brant dá uma virada de 360o e faz um filme completamente diferente dos anteriores, no bom sentido. Eu gosto dos anteriores também (menos Ação entre amigos), fique claro. Ótima surpresa. Mas queria deixar aqui registrado que eu acho muito chato ficar botando personalidades (ou semi personalidades) amiguinhas em pontas. É pessoal mesmo.

Cinema, aspirinas e urubus
Eu não esperava nada e sai do cinema impressionado no bom sentido. Buddy road movie no sertão sem aquelas coisas "AH! Mais olha o povo que pobrezinho! Como eles sofrem bonitinho! Olha que rugas mais intrincadas, deixa eu dar um close." Enfim, aquele SebastiãoSalgadismo todo. Segunda surpresa do dia.

E por enquanto é só. Perdi Wayward Cloud e Seven Swords e resolvi baixar os dois no emule. Acho que vou ver o 2046 na repescagem se tiver saco. Eu já baixei ele também, mas porra, Wong Kar Wai é pra ver no telão.

06:59 PM | Comentários (0)

Para o alto e avante!
outubro 04, 2005

Segundo a Associated Press, Nicolas Cage deu o nome de seu novo filho de Kal-el.

A esposa do ator, Alice Kim Cage, teve o menino ontem em Nova York. O nome completo do garoto é Kal-el Coppola Cage. O "Cage", vale lembrar, também é uma homenagem. O sobrinho de Francis Ford não queria ser conhecido pelo famoso sobrenome Coppola e adotou o nome do super-herói de aluguel da Marvel Comics.

É aquilo né. Se você achava bizarro o sujeito ter adotado o nome de um super-herói, o que achar de ter posto dois no filho?

12:03 PM | Comentários (0)

Da espuma do mar para Krypton
outubro 03, 2005
_supermangrant2.jpg

O Super-homem é um daqueles personagens que eu gosto mais pelo seu lado icônico do que pelas histórias em si. Mesmo porque a maioria delas, se o gato ver, enterra (Salvo, claro, raríssimas excessões, como a Red Son do espertíssimo Mark Millar). A DC comics, em uma de suas inúmeras iniciativas atuais para renovar seu panteão de heróis, criou a linha All-star. Nesses gibis, os personagens mais conhecidos da editora participam de histórias desligadas da cronologia normal dos títulos, dando a possíbilidade de alguém que não leu 40 anos de Batman, por exemplo, poder compreender tudo sem problema.

O All-star do nome não é sem propósito. A primeira revista da linha trouxe uma equipe formada por Frank Miller e Jim Lee. Eu nem curto muito o Jim Lee, mas whatever. Os dois são considerados os melhores naquilo que fazem, e realmente o novo enfoque que Miller deu pro homem morcego é realmente perturbador e instigante.

A segunda leva uniu Grant Morrison e Frank Quitely. Novamente, os melhores do ramo. Frank Quitely, principalmente, é um dos meus ilustradores favoritos e depois de ver coisas como We3 eu estou muito apreensivo em ver o resultado disso. Mesmo porque Morrison é um dos escritores que entende o Azulão como essa entidade bigger than life que ele é nos quadrinhos e o ícone arquetípico que ele se tornou na cultura ocidental.

Vejam por exemplo essa prévia. Só mesmo esses dois fdps para fazerem uma primeira página tão poética, sucinta e perfeita. A origem do super homem em 1 página, 4 quadrinhos, 8 palavras.

_supermangrant.jpg

Isso aí é praticamente o equivalente do Nascimento de Venus de Botticelli em forma de gibi. Não, não é exagero.

Em português:
"Planeta condenado."
"Cientistas desesperados."
"Última esperança."
"Casal gentil."

01:02 PM | Comentários (0)

O Horror, o horror
setembro 29, 2005

Eu queria fazer uma piada sobre essas hqs católicas mas não estou conseguindo. Impressionante como uma coisa consegue ser tão engraçada e assustadora ao mesmo tempo. Confira você mesmo, todos os títulos disponíveis em português no Chick Publications.

_jesusss.gif

Dica do amiguinho Daniel, que aceitou a palavra de Cristo em seu coração.

12:29 PM | Comentários (5)

TT no Festival do Rio - Parte 4
setembro 28, 2005

Um post rápido, afinal eu trabalho durante a semana e ainda tenho provas a noite. TT é gente que faz.

Election
Belo filme sobre as tríades chinesas e o papel de suas tradições e códigos de honra hoje em dia. TT recomenda.

Fim.

06:35 PM | Comentários (0)

TT no Festival do Rio - Parte 3
setembro 26, 2005

E a carnificina continua!

O Espelho Mágico
Manuel de Oliveira é legal, mas taí um tipo de cinema que não me faz muito a cabeça. Algumas coisas eu acho que funcionariam melhor em papel. Vai, me chama de burro.

O Céu Gira
Documentário sobre uma cidade na Espanha que está desaparecendo junto com seus últimos habitantes. Simpático, bonito, tem uma coisa engraçada na maneira como que as conversas dos velhinhos são filmadas (com raccords entre planos, por exemplo) que mostram que o filme é praticamente uma ficção no modo como foi feito. Mas isso não tira nenhum mérito.

Três Extremos
3 curtas orientais de terror. Dumplings: Legal. O segundo curta (bloqueei o nome): Tétrico. Box: TAKASHI MIIKE É REI, SALVE SALVE ALELUIA.

Last Days
Tenho que ver de novo, por vários motivos, mas é bom pra cacete.

09:43 PM | Comentários (0)

TT no Festival do Rio - Parte 2
setembro 25, 2005

Vamos parar de viadagem. Agora os posts não vão mais ter fotinhas não. Fotinhas são coisas de viado. E dão trabalho pra fazer. Vou ser curto e grosso.

Uma Mulher Coreana
Primeiro filme que eu vi efetivamente no festival. Gostei bastante. Tem uma cena altamente bizarra. Quem ver vai identificar logo logo.

Batalha no céu
Eu adoro o filme anterior desse rapaz, que atende pelo nome de 'Japón'. O filme, não o rapaz. Esse aí tem umas coisas muito legais e outras estranhas. De qualquer maneira ainda não estou certo de nada, e eu considero isso um mérito pro filme. Não vá assistir só por causa do frisson da imprensa devido as cenas de sexo. Ele é claramente mais do que isso, quer você ame ou odeie. É fato.

Agora, a piada: No Japón, Carlos Regayas filmou um homem fazendo sexo com uma velha de 80 anos. Nesse, cenas de sexo entre atores com obesidade mórbida. Espero ansiosamente pelo terceiro, com anões, talidomidas, eunucos, etc.

O Mundo
Não me pegou. Achei chato, longo, repetitivo. Ele pega uma idéia e esfrega a sua cara com ela. Depois esfrega de novo. E de novo. Quando você já está no chão, esfoliado, quando você já fez um peeling de tanto ter a idéia esfregada na sua cara ele a pega e enfia pela sua goela abaixo. Eu acho que é um exagero, os personagens não me comoveram. Pra falar a verdade eu queria esganá-los um a um depois dos primeiros 15 minutos de filme.

Não vou comentar sobre os interlúdios feitos em flash. Foi freela meu, acredite.

O Gosto do Chá
O melhor filme até agora. É... fofo. Não consigo pensar em outro adjetivo. Uma fofura. Um belo filme. E fofo.

Flores Proibidas
Uma mistura de Amor à flor da pele com cine privé. Parece um clipe daquela banda dos anos 80, Enigma, só que com atores japoneses. Vale pelo humor involuntário e pelas nudez gratuita.

E é isso amiguinho! Amanhã mais críticas super construtivas sobre o festival! Você não perde por esperar!

04:40 AM | Comentários (0)

At last!
setembro 24, 2005

Coluna nova na Contracampo! E já que você vai lá não esqueca de checar a cobertura do Festival do Rio feita pela revista que é a maior autoridade em cinema no Brasil. Sem coorporativismo.

Ah, o design do site é ótimo também. E aquele logo hein? Que loucura. Quem fez aquilo deve ser um gênio.

03:58 PM | Comentários (0)

tiago teixeira
é designer gráfico, camiseteiro, colunista da Contracampo e estudante de cinema, mas passou no teste da farinha.

Blogs realmente legais
Daniel Sansão
Pelas ruas que andei
3 redatores
Alexandre Soares Silva
Allan Sieber
De volta a nossa programação normal
O signo do Dragão
Escreve Escreve
B3TA
bricabraque
Velvet Marauder


arquivos

outubro 2005
setembro 2005
agosto 2005
julho 2005
junho 2005
maio 2005
abril 2005
março 2005
fevereiro 2005
janeiro 2005
dezembro 2004
novembro 2004

recentes
Eu sou o Zé Pilintra
Mais diversão no seu dia a dia
TT no festival do Rio - parte 5
Para o alto e avante!
Da espuma do mar para Krypton
O Horror, o horror
TT no Festival do Rio - Parte 4
TT no Festival do Rio - Parte 3
TT no Festival do Rio - Parte 2
At last!
procura