Nome
*
E-mail

*
Mensagem




28.05.04 // Idéias divertidas para passar o tempo durante a exibição de Van Helsing

Leve com você papel e caneta e marque um ´x´ cada vez que durante o filme:

- ...alguém se balançar em uma corda.
- ... alguém for arremessado contra uma parede.
- ...o protagonista errar um tiro.
- ...o som do filme se torne tão alto que o faça cobrir os ouvidos.
- ...alguém mencionar uma informação irrelevante.
- ...uma cena de ação se emendar em outra cena de ação e assim sucessivamente até você ficar com vontade de dormir.
- ...você perceber qual vai ser o final de um mistério, luta ou diálogo.
- ...que Hugh Jackman exibir tanta personalidade e carisma quanto um hidrante.
- ...que você pensar ´Pô, esse podia ser um filme legal.´.

07:04 PM | mais Cinema | Comente. (44)


27.05.04 // Almofadas estilosas

Geralmente essas coisinhas bonitinhas baseadas em filmes sao meio pelassacas, mas as almofadas da Pintassilgo estão chutando traseiros. Com força.

12:42 PM | mais Comunicados | Comente. (34)


24.05.04 // O Incompreendido.

''não foi uma surpresa, no sentido em que não há nenhuma interseção entre o cinema que fazemos hoje na América Latina e aquele que Tarantino representa. De qualquer forma, ter ido para Cannes foi muito bom para Diários. O filme foi bem recebido pelo público e pela crítica internacional o que é uma indicação de que ele terá vida longa. ''

Walter Salles, depois de ouvir o resultado do festival de Cannes desse ano. Ou seja: não existe a possibilidade de Diários de Motocicleta não ter sido premiado simplesmente por não ser bom, é tudo culpa de uma incompatibilidade de visão cinematográfica entre a américa latina e Tarantino, que na visão do Waltinho, decidiu tudo sozinho. Um exemplo de humildade que deve ser seguido por todos nós.

12:15 PM | mais Cinema | Comente. (48)


21.05.04 // Edificio Avenida Central, 13:30

O que aconteceu foi o seguinte. Sai da uruguaiana em direção ao Edifício Central. Cruzando o Largo da Carioca e passando pelos grupos de pastores freelance, pedintes e o Aguinaldo Timóteo vejo uma banda tipo desfile de sete de setembro com cortes orçamentais drásticos. No momento em que tento entender o que eles estão fazendo parados no meio do caminho, o sino do convento ali perto começa a tocar ´tico tico no fubá´. O grupo olha pro sino, sem entender.

Me apresso e entro no edifício. Enquanto subo a escada para o segundo andar, embaixo de mim outra banda passa, tocando a plenos pulmões a música tema do globo esporte. No meio do desfile, alguns transeuntes andam como se nada estivese acontecendo, daquele jeito marrento que só os cariocas sabem fazer.

Resolvidos meus problemas no segundo andar, saio pelo outro lado do prédio. No fim da escada, que surpresa, outra banda do mesmo tipo empenhada em reproduzir aquela música insuportável do Senna. Junto a ela, um sujeito que não conseguia pronunciar nenhum ´L´ (trocava por ´R´s) explicava que ali naquele lugar seria erguido um obelisco em homenagem a Lauro Muller, idealizador do edifício. O povo acompanha o discurso enquanto eu saio de fininho, ligeiramente intrigado e quase tropeço no mendigo sem pernas que faz ponto ali na frente.

07:09 PM | mais O Mundo de Bizarro | Comente. (32)


20.05.04 // Evan Dando e Cantando

Nem gosto do Lemmonheads, mas a partir de agora sou fã do Evan Dando.Aventuras de um 'popstar' gente boa, pela Chinchila.

11:58 AM | mais O Mundo de Bizarro | Comente. (34)


13.05.04 // A verdadeira vanguarda

Alguém devia avisar ao Godard que o seu filme Carmen, que inclui generosas cenas de nudez e zéguizo, está sendo exibido naquele cinema da praia de botafogo o qual eu esqueci o nome, conhecido por exibir fitas de conteúdo pornográfico e por ostentar o letreiro ´SEMPRE UM BOM FILME´ que nunca é atualizado.

Aposto que ele ia gostar.

11:31 AM | mais Cinema | Comente. (23)


05.05.04 // Análise crítica dos pedintes do centro do rio de janeiro V – O mala do Sax

Impossível vir ao centro e não conhecer o Mala do Sax. Ele se posiciona na saída do metro da Carioca, sentado em seu banco tocando seu saxofone desafinado e vestido como se fosse um bluesman aposentado. O sax desafinado, na verdade, é o menor de seus problemas. O fato é que o sujeito não consegue tocar nenhuma seqüência de notas que dure mais de 5 segundos. Suas músicas são feitas de inúmeras pausas dramáticas, que dão ao espectador tempo para refletir e decifrar aquele som horrível que chega a seus tímpanos. Além disso o Mala é o primeiro saxman sem fôlego do mundo. E isso não impede que seja o possuidor de um dos maiores egos já imaginados, se achando um grande gênio da música nacional, quiçá mundial. Se você perguntar de onde ele veio aposto que vai mandar sem vergonha – Nova Orleans, ora!

06:07 PM | mais Coisa Nenhuma | Comente. (60)


03.05.04 // Segunda opção

Quem não quiser me dar o poncho do Clint pode me dar o tênis da Uma. Ou então me dê os dois. Vou usar ao mesmo tempo. Diz aí se não vai ficar o bicho.

06:31 PM | mais Coisa Nenhuma | Comente. (22)